Viagens bate e volta a partir de Dublin

Se você já cogitou ir para Dublin, a capital irlandesa, e pesquisou sobre a cidade, deve ter se deparado com recomendações sobre não permanecer nela por mais do que três dias. Nós discordamos dessa recomendação por inúmeros motivos, e um deles é o tema deste texto: as viagens de bate e volta que podem ser feitas a partir dela.

1 - As montanhas de Wicklow, Lago Guinnes e Glendalough


As montanhas de Wicklow ficam a aproximadamente 40km ao sul de Dublin, e fazem parte do Wicklow Mountains National Park. São muitos vales, lagos e colinas que te farão amar a Irlanda - caso Dublin ainda não tenha te convencido, o que duvidamos. Nesse parque nacional também podem ser visitados cenários de filmes como P.S I Love You e Braveheart.

Montanhas de Wicklow
Foto de Fábio Becker

O Lago Guinness é uma atração clássica nesse bate e volta. Ele tem esse nome por ser extremamente parecido com um copo da tradicional e amada cerveja Guinness, orgulho dos irlandeses. Por ser muito fundo, a água do lago é escura tal qual a cerveja, e a estreita faixa de areia que possui é igual a um colarinho - sem falar no formato parecido com uma pint!

Lago Guinness
Foto de Fábio Becker
A maioria dos day tour que levam os turistas a Wicklow também passam em Glendalough - um dos mais importantes sítios monásticos da Irlanda. Lá, você pode ver de perto várias construções - muitas em ruínas - que foram construídas entre os séculos VIII e XII e que sofreram ataques vikings e ingleses. Várias igrejas de pedra e lápides marcam a paisagem absurdamente verde - afinal, a Irlanda não é conhecida por "Ilha Esmeralda" à toa, e nesse bate e volta você vai entender o porquê.

Paisagem em Glendalough
Glendalough | Foto de Diúlit Oldoni

Como chegar: há varias empresas em Dublin que fazem esse tour,  com saída pela manhã e retorno à Dublin no fim da tarde. Os preços variam de 20 a 30 euros.

2 - Skerries

Moinho em Skerries
Os Mills de Skerries | Foto de Fábio Becker


Skerries é uma cidade costeira que fica a aproximadamente meia hora de Dublin se você pegar o DART - o metrô não-subterrâneo da cidade.


O plano no dia desse bate e volta era, na verdade, um passeio até Bray. Porém, um incêndio havia danificado as linhas de trem até lá e então optamos por Skerries, um plano B esquecido. As fotos de Skerries na internet não haviam nos conquistado, e mais tarde ficamos muito felizes por termos tido a chance de conhecer essa cidadezinha.

Praia em Skerries
Foto de Fábio Becker

A cidade é praticamente uma vila, e por lá você pode ter um dia perfeito de caminhada para explorar novos lugares. Assim como em todo país, Skerries tem várias colinas verdes e algumas praias - de pedras e de areia. Há colinas de frente para o mar, com vários passeios para caminhada e bancos pra aproveitar a paisagem. Por isso, recomendamos que você, assim como nós, faça um piquenique em um desses banquinhos.

moinhos de vento - datados do século XVI, um castelo, uma igreja de pedra, inúmeras lojinhas interessantes e ruas cheia de casas bonitas. Há várias ilhas por perto e algumas empresas oferecem passeios até algumas delas - não fizemos esse passeio, mas em rápida pesquisa podemos te contar que eles duram cerca de 1h15, e custam aproximadamente 35 euros.

Como chegar: o modo mais rápido de chegar é pelo já mencionado DART, nas estações Pearse Street, Tara ou Conolly. Você pode comprar os bilhetes (ida e volta, se preferir) nas máquinas de autoatendimento, basta escolher Skerries como destino. A ida e volta sairá por aproximadamente 9 euros. O ônibus 33 também vai até lá.

3 - Howth


Mar e farol em Howth
O final da trilha em Howth | Foto de Fábio Becker
Howth também fica a cerca de meia hora de Dublin. Esse lugar é uma vila portuária, parte do condado de Fingal. A vila tem todo o charme de lugar pequeno: o porto cheio de barcos, a deliciosa feirinha de comidas, igrejas, castelos, cemitérios e ruas estreitas.


Nesse dia, fomos a Howth para uma trilha pelos seus Cliffs. Há várias trilhas (com distâncias diferentes) que contornam o rochedo, e durante toda a caminhada você tem uma visão lindíssima do mar e das flores que estão por toda a montanha. Ao final, há um farol e muitos lugares para você sentar, olhar pro mar e agradecer à vida pela chance de conhecer um país tão incrível.

Flores em Howth
As flores que aparecem por toda a trilha | Foto de Fábio Becker
Em Howth, além da caminhada, a feirinha também nos conquistou. São inúmeras barraquinhas com diversos tipo de comidas - doces e salgadas. É o lugar perfeito para uma pausa para almoço para aproveitar não só as delícias da feira, como também o clima de vila portuária que existe ali.

Como chegar: para Howth, você pode ir da mesma forma que para Skerries: de DART, nas estações Pearse Street, Tara ou Conolly, e a ida e a volta custarão cerca de 9 euros. Quando chegar lá, para ir até a trilha basta pegar a Harbour Road até a Balscadden Road e seguir reto.

4 - Irlanda do Norte


Você até pode ir pra Irlanda sem visitar a Irlanda do Norte - mas não deveria! Existem tours que visitam o país vizinho, saindo bem cedinho de manhã, e voltando de noite. Há um acordo entre as duas Irlandas, por isso, não é necessário passar pela aduana para entrar na Irlanda do Norte - mesmo sendo ela parte do Reino Unido, enquanto a Irlanda é independente.


Os passeios até a Irlanda do Norte normalmente incluem uma visita rápida a Belfast, uma ida ao Giant's Causeway, à Carrick-a-rede Rope Bridge e alguns cenários de Game of Thrones - como as The Dark Hedges.

The Dark Hedges
The Dark Hedges | Foto de Fábio Becker
Belfast é conhecida pelos seus conflitos políticos e religiosos, e o principal motivo para isso é na desavença sobre se a Irlanda do Norte deve fazer parte da Irlanda, ou se deve continuar como parte do Reino Unido. Uma parte da população, de religião protestante, defendem que a Irlanda do Norte deve seguir com parte do UK, enquanto a parcela católica do população acredita na independência do país. Belfast, inclusive, é fisicamente dividida entre católicos, protestantes e "neutros".

Deixando Belfast para trás com a promessa de um texto exclusivamente dedicado aos seus assuntos e partindo para o interior do país, é preciso dizer o quão lindo é o caminho até os famigerados Giant's Causeway. São infinitas colinas verdes, flores, ovelhas, casas de fazenda e penhascos que se estendem pela estrada. Em nossa viagem, o céu de nuvens carregadas contrastava com a paisagem, e o mundo inteiro parecia um perfeito cenário daqueles que existem apenas nos livros.

Giant's Causeway
A famosa "calçada dos gigantes" | Foto de Diúlit Oldoni
O principal destino dessa ida à Irlanda do Norte são os Giant's Causeway e a Carrick-a-rede Rope Bridge, que são, respectivamente, aquelas colunas de basalto que parecem uma calçada, e a ponte de corda sobre o mar. Esses dois lugares são quase uma visita obrigatória para quem viaja para esse lado do mundo.

Como chegar: há várias empresas que fazem o tour a partir de Dublin e os preços variam de 25 a 60 euros - dependendo não só da empresa, como também da quantidade de lugares que o tour visita. Para quem preferir, há viagens até a Irlanda do Norte que duram mais de um dia, e tours especiais que visitam apenas lugares que foram cenários de Game of Thrones.

5 - Cliffs of Moher

Cliffs of Moher
Divulgação | Seda Intercâmbios
Nós não tivemos tempo de ir para os Cliffs of Moher, porém, é um destino tão clássico para quem viaja à Irlanda que não pudemos deixar de mencioná-lo aqui. Muitos dizem que as paisagens lá são os cenários mais irlandeses que você verá - as falésias, o mar, as colinas de um verde inacreditável.

Como chegar: difícil é não encontrar uma empresa que não ofereça esse passeio clássico! Por isso, em qualquer volta pelo centro de Dublin, você encontrará várias, e os preços variam de 20 a 40 euros.

Todas essas pequenas viagens duram um dia, ou seja, você já teria atividades para cinco dias na Irlanda! Isso, é claro, sem contar tudo o que Dublin tem a oferecer, e também as cidades ao redor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário