Roteiro pelas 11 cidades mais incríveis do Chile

Com uma geografia bastante curiosa, o país conta com paisagens de encher os olhos de qualquer viajante; partindo do extremo sul ao norte do país, o Petri te convida a conhecer os mais encantadores municípios e vilas, percorrendo um roteiro diversificado com direito à montanhas nevadas, vulcões, metrópoles, praias, deserto e muito mais


As cordilheiras são símbolo do Chile, na foto um recorte da Patagônia - Arquivo do Petri | Fábio Becker

De norte a sul, em linha reta, são 4270 km; já de leste a oeste, os pontos mais distantes encontram-se a meros 177 km. Frutos desta geografia e tão distintos quanto ela são as paisagens e os climas do Chile, que proporcionam os mais diferentes tipos de roteiro que se possa imaginar: da mais austral cidade do mundo, Porto Williams; até Arica, fronteira com o Peru, você vai passar pelas montanhas congelantes da Patagônia e da Cordilheira dos Andes, por vulcões, praias, centros urbanos e até o deserto mais árido do planeta!
Muito embora o povo chileno seja o mais animado que conheci, seus vinhos sejam famosos, e sua história e cultura sejam extremamente ricas, o Chile, permitam-me o joguinho tosco de palavras, é "encantador por natureza". Beleza natural que inclusive lhe rendeu o prêmio "World's Leading Adventure Tourism Destination" em 2016, destacando-o como o melhor roteiro de turismo de aventura no mundo.
É para te ajudar a desbravar toda a extensão de nosso irmão sul-americano que o Petri preparou um pequeno guia apontando as regiões, as cidades e os cenários mais contrastantes e encantadores que você conhecerá nesta jornada.

1. PATAGÔNIA CHILENA

As famosas montanhas que dão nome ao Parque Torres del Paine - Arquivo do Petri | Fábio Becker











1.1 Puerto Williams
Embora nossos hermanos argentinos, com sua fama megalomaníaca, insistam que Ushuaia, a capital da província de "Tierra de Fuego", é a cidade mais ao sul do mundo, o mapa não mente. O título cabe a já citada Puerto Williams. Muito menor que a vizinha argentina, e provavelmente bem menos aconchegante e turística, a cidade chilena não conta com grandes atrativos, entretanto, visitar um dos pontos extremos do planeta e sentir o clima de estar no fim do mundo, obviamente, compensa tudo. Ah, e se você é daqueles que gosta de ir sempre além, nada impede de baixar um pouco mais e seguir rumo à misteriosa Antártica.

1. 2 Punta Arenas y Puerto Natales
Distâncias:
Puerto Williams a Punta Arenas: 835 km - 36 horas de viagem
Punta Arenas a Puerto Natales: 248 km - 3 horas de viagem

A queridinha do Petri no sul chileno. Inóspita, com uma temperatura inconstante (é comum chover, ventar, abrir sol e até nevar num único dia), Puerto Natales é uma daquelas cidadelas coloridas e tranquilas que todo mundo ama conhecer. Um lugar especial para percorrer a pé e fotografar, além de ser porta de entrada para o Parque Nacional Torres del Paine. Já Punta Arenas é como uma versão maior de Puerto Natales - e talvez por isso eu prefira Natales. Conta com o mesmo clima e charme, porém com maior estrutura. O ponto alto é a facilidade de encontrar excursões (apesar de não gostar de viajar assim, há lugares onde não temos escolha) para observar animais como leões marinhos, pinguins e até mesmo orcas.

Petri recomenda

- Torres del Paine: para mim, simplesmente o lugar mais deslumbrante que já vi - provavelmente um roteiro que cairia nas graças de Supertramp e até mesmo de Thoureau. Difícil colocar em palavras esse parque que foi declarado Reserva da Biosfera pela Unesco e oitava maravilha do mundo em 2013. Com mais de 227.298 hectares, diferentes roteiros de trilha e acampamento, é uma experiência de vida selvagem para jamais esquecer. Na paisagem: lagos cor turquesa, icebergs, cascatas, bosques, montanhas, neve, e o encontro ocasional com animais como guanacos, emas e mesmo pumas.


- Cueva del Milodón: importante para citar só mais um dos tão distintos exemplos de passeios turísticos do Chile, no caso, um passeio para entusiastas da arqueologia. Símbolo de Puerto Natales, o Milodón é um ancestral gigante do bicho-preguiça que habitou a região há cerca de 10 mil anos. Importante sítio arqueológico, além de uma vista incrível, o parque conta com uma enorme caverna, onde foram encontrados vestígios não só da simpática preguiça, como de nossos ancestrais que viveram no local há 12 mil anos.   

2. REGIÃO DOS LAGOS
Lago Villarica com o vulcão de mesmo nome ao fundo  - Arquivo do Petri | Fábio Becker






















2.1 Chiloé
Distância: Torres del Paine a Chiloé: 2097 km - 27 horas de viagem

Com uma localização privilegiada, entre a Patagônia e a Região dos Lagos, Chiloé, a quinta maior ilha da América do Sul, se destaca por seu clima interiorano, com campos, lagos e claro, por suas palafitas coloridas. Conta ainda com 16 igrejas reconhecidas como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.


2.2 Villarica e Pucón
Distâncias:
Chiloé a Villarica: 509 km - 7 horas de viagem
Villarica a Pucón:  26 km - 31 min de  viagem

Rodeadas por lagos e com uma grande infraestrutura (ao contrário da rusticidade de Chiloé), são daquelas cidades criadas para o turismo, se assemelhando em algo com Gramado e Canela, no Rio Grande do Sul. O grande atrativo, é claro, fica por conta do imponente e ainda ativo vulcão Villarica a última erupção ocorreu em 2015 , com seus 2843m. Cidades tanto para quem ama o aconchego de um bom vinho, clima frio e natureza, como para os aventureiros que buscam atividades como rafting e trekking.

3. REGIÃO CENTRAL
Palácio de la Moneda, no centro da capital chilena, Santiago  - Arquivo do Petri | Fábio Becker
3.1 Santiago
Distância: Pucón a Santiago: 787 km - 8 horas de viagem

Uma das 10 cidades mais visitadas por brasileiros no mundo, Santiago, com aproximadamente 6 milhões de habitantes (40% de toda população chilena), é uma das cidades mais desenvolvidas da América Latina e a terceira em qualidade de vida, atrás respectivamente, apenas de Buenos Aires, na Argentina; e Montevidéu, no Uruguai.
Além de atrativos culturais inúmeros - como toda grande cidade -, conta ainda, é claro, com a presença marcante da imponente Cordilheira dos Andes. Vale destacar ainda as suas populares estações de esqui, que a tornaram um roteiro típico de inverno para os sul americanos.

3.2 Valparaíso e Viña del Mar
Distância:
Santiago a Viña del Mar:
Viña del Mar a Santiago:

"Eres un arcoires de multiplos colores/ Valparaíso puerto principal". Talvez nada descreva melhor a "Joya del Pacífico" do que o samba/cumbia de Joe Vasconcellos. Ao longo da canção, o cantor nos leva a percorrer as pulsantes e históricas ruelas que se estendem da praia ao topo dos cerros 45 no total! A mescla do gênero é, talvez, apenas mostra da multiculturalidade e da alegria local, ao passos que nada poderia descrever melhor as tão distintas casinhas coloridas que se amontoam nos morros frente ao mar, do que um arco-íris. São tantos os encantos, que junto a anteriormente citada Puerto Natales, está é das minhas cidades favoritas para toda a vida.  "Al retornar de nuevo te vuelvo a contemplar [...] Con todo mi corazón...como tu no hay otra igual". Assim termina a canção de Vasconcellos e assim são as recordações de quem já teve a honra de visitar a cidade.
Exceto por ser banhada pelo Pacífico, Vinã del Mar é o oposto de Valparaíso. Com extensões maiores de praia e forte infraestrutura, é a mais visitada e rica praia do Chile. Lembra em algo Punta del Este. Vale citar também que o famoso "Reloj de Flores" fica aí. Menor que a cidade vizinha é uma boa cidade para conhecer a pé. E como dito, um dos melhores lugares para um banho de mar.

Petri recomenda

- Caminhadas e passeios: Caminhar e se encantar com a arquitetura, as cores e os grafites de Valparaíso é, sem dúvida, a experiência mais marcante na cidade. Outros passeios que valem a pena e custam pouco ou nada, é a visita a  La Sebastina, antiga casa do poeta, Pablo Neruda (ainda há mais duas no Chile: La Chascona, em Santiago e outra em Isla Negra), hoje um museu, subir os morros com os "trenzinhos" para poupar as pernas e pagar por um passeio de barco - vale pechinchar, mas igual será barato para observar a cidade de dentro do mar.
- Valparaíso Cerro Abajo: Atividade promovida pela Red Bull, no mês de fevereiro, a "Valparaíso Cerro Abajo" chegou a sua 15ª edição, em 2017. Trata-se de um dos mais desafiadores e famosos eventos de downhill do mundo. As imagens captadas pelas câmeras dos ciclistas explicam melhor do que as palavras o que é essa pequena insanidade.


4. REGIÃO NORTE
4.1 Valle del Elqui
Distância:
De Valparaíso a Valle del Elqui: 500 km - 6 horas de viagem

Apesar de ser uma boa rota para os amantes do vinho e do pisco, o que faz do Valle del Elqui uma das regiões mais visitadas do norte do Chile são sua noite estrelada e o seu céu, considerado um dos mais claros em todo o hemisfério sul - característica que o torna um dos principais pontos de observação astronômica do mundo. Misticismo a parte, também é um ambiente visitado pela comunidade esotérica que o considera um polo de fenômenos OVNI.

4.2 San Pedro de Atacama
Distância:
De Valle del Elqui até San Pedro de Atacama: 1221 km - 14 horas de viagem

Embora a região norte do Chile se estenda por pelo menos mais 700 km, San Pedro de Atacama é a última parada a dizer "visualmente deslumbrante" de nosso destino. Lugar propício para a gravação de um faroeste, a cidade conta com uma população inferior a 5.000 habitantes, que enfrentam o calor que sopra do deserto mais seco e alto do planeta - para se ter uma ideia ele é 250 vezes mais seco que o Saara, seu índice pluviométrico anual é de 0,1 mm, o que corresponde a uma média de uma gota de chuva por ano, contando com localidades onde não chove há impressionantes 400 anos. É de ficar de boca seca apenas lendo! -, apesar disso, com montanhas que ultrapassam 6000 m, a região conta com maravilhas naturais para deixar qualquer um bobo: salares, gêiseres, lagunas, entre outros. Para finalizar, quem pretende seguir viagem, pode aproveitar para cruzar a fronteira e visitar as igualmente encantadoras, Jujuy na Argentina, ou Uyuni na Bolívia.

5. OUTROS

Se percorrer os mais de 4000 km de extensão do território chileno, passando por montanhas, ilhas, praias e desertos não é tarefa fácil, tão pouco é possível resumir sua grandiosidade como tentamos fazer aqui. Optei pelos roteiros que o Petri conhece melhor e outros que impressionam por suas paisagens marcantes para fazer o esboço da geografia e dos cenários do gigante Chile. Das muitas outras localidades marcantes que merecem destaque cito: a enigmática e remota Ilha de Páscoa e as gigantes do sul: Puerto Montt e Valdívia.

PS: As distâncias foram calculadas em viagens pelas principais rodovias e estradas do país, com tempo aproximado para carro ou ônibus. A distância de 4270 km (caminho sul/norte) é calculada em linha reta, por isso, vale lembrar que ela aumenta consideravelmente na estrada. Para se ter ideia, a fronteira terrestre do Chile (Argentina, Bolívia e Peru) possui 5150 km e é uma das mais longas do mundo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário