13 dicas de segurança para viajar sozinha

rua-em-edimburgo


Viajar sozinha é uma ideia que dá frio na barriga na maioria das pessoas que conheço - especialmente mulheres, já que vivemos em um mundo que infelizmente ainda é repletos de perigos específicos a nós.

Recentemente tive a minha primeira e curta experiência viajando sozinha por cinco dias e, do momento da decisão de passar cinco dias em São Paulo (capital) até o momento em que eu desembarquei do ônibus em Caxias do Sul e fui recebida pelo Fábio, eu não deixei de pensar na minha segurança em nenhum momento. 

Felizmente, voltei perfeitamente intacta para casa e, por isso, agora gostaria não só de estimular mais mulheres a sentirem na pele essa liberdade, como também falar sobre algumas estratégias que adotei pra me sentir mais segura.

1 - Se hospede em quarto feminino

Se você se hospedar em um hotel, metade dos seus problemas estão resolvidos. Se não, dê preferência para os quartos femininos. Foram poucas as vezes que vi relatos de assédio e violência em hostel, mas 1) mesmo que tivesse sido apenas um relato, já é motivo de preocupação e 2) quantos casos simplesmente não chegam aos nossos olhos, ouvidos e pesquisas? Na dúvida, se hospede apenas com meninas.

Alguns hostels cobram o mesmo valor para quartos mistos e femininos, enquanto outros cobra até o dobro pelos quartos femininos. Sempre que possível, dê preferência para os que cobram o mesmo valor, afinal, a única diferença de um quarto apenas para mulheres é a restrição de público, e nós não nos hospedamos nesse tipo de quarto por luxo - por isso, não deixem que lucrem em cima dos nossos medos.

2 - Informe familiares sobre o seu roteiro

Informe sua família ou amigos as cidades e países pelos quais você irá passar - e as datas, para que eles saibam onde você está. Sempre que houver alteração, atualize essas pessoas. Isso é importante para que eles possam tentar te localizar, ou passar informações para autoridades caso alguma coisa aconteça.

3 - Escolha com atenção o destino e a localização da hospedagem

Em relação ao destino, a dica é mais adequada para as mulheres que tem esse poder de escolha (que não estão viajando a trabalho, por exemplo, e podem escolher para onde vão viajar). Nós sabemos que há cidades e países que oferecem mais segurança do que outros e, para uma primeira viagem, talvez a melhor opção seja um local seguro.

Quanto a localização de hospedagem, a principal dica é pesquisar com antecedência o bairro do hotel ou hostel e verificar se é um local seguro e que possua fácil acesso ao transporte público que te leve aos lugares onde você deseja ou precisa ir.

Em fóruns sobre viagens - recomendamos o Mochileiros - você pode conversar com pessoas que já foram para o destino para o qual você pretende viajar, e que podem te ajudar com dicas específicas sobre segurança. Se você pretende ir para algum estado ou país que já visitamos, você pode diretamente falar com a gente

4 - Saiba o idioma local, ou pelo menos as frases mais importantes

Não viajei desacompanhada para outro país ainda, mas mesmo assim recomendo que você tente aprender, antes da viagem, pelo menos algumas frases importantes para a comunicação no local, como pedir informações, por exemplo. Você também pode baixar o app do Google Translator para te ajudar no dia a dia. Imagina que desesperador precisar de ajuda e não ter a mínima ideia de como se fazer entender?

5 - Nunca saia sem documentos

Com certeza alguém da sua família já te fez essa recomendação também. Nunca sabemos o que pode nos acontecer, ou quando iremos precisar deles. Em destinos internacionais, o documento válido é o passaporte. Você pode carregar consigo uma cópia autenticada das páginas principais, para evitar que você o perca ou tenha ele roubado.

6 - Não deixe tão claro que você é turista

Os turistas podem ser alvos vulneráveis aos olhos de quem não tem boas intenções - e isso vai desde algum comerciante tentando te vender algo por um preço muito maior do que o normal por saber que você não é dali, até alguém que pretenda te assaltar, ou assediar. Não ostente joias ou câmeras enormes; consulte mapas e tire fotos de formas mais discretas, como se você fosse moradora do lugar.

7 - Faça amigos

Ter um contato de confiança por perto é sempre uma boa ideia. Além disso, mais do que unicamente por segurança, fazer amigos em lugares novos é sempre uma boa ideia. Se você pretende passar pouco tempo em um lugar, e não consegue se aproximar de pessoas novas com toda essa facilidade, a melhor opção é se hospedar em um hostel, onde o clima é, geralmente, mais descontraído. Antes de escolher seu hostel ideal, avalie os comentários para ver o que outros hóspedes falam sobre o atmosfera no local - se é um ambiente propício para conhecer pessoas, se o hostel promove eventos para interação, ou se é um lugar menos intimista.


8 - Siga sua intuição

Não pense que os seus instintos são paranoias, eles não são! Se uma rua te pareceu suspeita, evite ela. Se alguma pessoa ou situação está te deixando com um pé atrás, não sinta receio em dar um jeito de fugir ou se afastar.

9 - Minta, se precisar

Se você estiver com receio da pessoa estranha da dica 8 e achar que pode ser uma boa ideia mentir que não está viajando sozinha ou que está no lugar para encontrar amigos/família/namorado/a, minta. Tá tudo bem. Inclusive, sempre viaje com algumas mentiras prontas na cabeça.

10 - Cheque a existência de aplicativos de transporte para mulheres

Em São Paulo, eu usei o Lady Driver, que oferece o mesmo serviço que a Uber, porém só com mulheres como motoristas. A ideia de andar de carro com um desconhecido, em uma cidade que eu não conheço nenhuma rua me apavorava, e fazer todos esses trajetos ao lado de uma mulher que entendia esse medo foi maravilhoso. Por isso, antes de viajar, pesquisa as opções de aplicativos específicos para mulheres para evitar esse receio também!

11 - "Um olho no chão e outro no céu"

Essa é a recomendação que minha mãe me dá toda vez que saio de casa. Isso significa que você deve estar atenta o tempo todo (dos lados, na frente, atrás) para, por exemplo, evitar possíveis aproximações suspeitas, ou identificar situações estranhas nas ruas com antecedência suficiente para que você possa desviar desses lugares. Isso não significa estar absolutamente tensa e paranoica o tempo todo, apenas manter a sua atenção sempre ligada.

12 - Se você acha que está sendo seguida, entre em algum lugar

Essa é uma dica mais conhecida - afinal, não é só viajando que as mulheres sentem medo, mas não custa reforçar: se você acha que alguém está te seguindo, entre em algum estabelecimento, ou escolha alguma outra moça na rua para fingir que é sua amiga e a aborde.

13 - Cheque as ruas no Google Street View antes de passar por elas

Se você vai fazer um trecho a pé e não conhece a região, cheque as ruas no Google Street View para saber se ela é bem iluminada, tem bastante casas, parece movimentada, etc. Por experiência própria, eu posso dizer que o Google Maps é um pouco sem noção na hora de criar rotas para você ir de um ponto a outro, muitas vezes te levando por caminhos um pouco assustadores e suspeitos. Na dúvida, verifique. Se a rua não te agradar (mesmo à luz do dia), procure outra ou faça seu deslocamento de outra forma que não seja a pé.


Dicas dadas, eu gostaria de terminar esse texto com o apelo de que nós, mulheres, lutemos sempre contra tudo o que ameaçar a nossa liberdade, e que sejamos sempre corajosas. O mundo é lindo e ele é nosso também. Nós temos o direito de viajar por ele e é isso o que vamos fazer, acompanhadas ou não.


Nenhum comentário:

Postar um comentário